Dicas de Fotografia

Como fotografar pessoas idosas

Acredito que a direção é o ponto mais importante em fotos de pessoas que não são modelos profissionais. O meu método de direção afetiva, focada no espontâneo e no lúdico, é baseado em ficar pedindo para as pessoas fazerem mil coisas e assim se distraírem das fotos. ;-)

Porém, a pouco tempo atrás, tive um desafio: em comemoração aos 60 anos de casados os meus avozinhos precisavam de fotos bonitas para lembrança. Os dois têm 83 anos. É claro que a mobilidade e saúde variam bastante de pessoa para pessoa, mas vou contar aqui algumas lições que aprendi com essa experiência e que valem na hora de dirigir qualquer pessoa.

1. A sempre lembrar das limitações

Muitas vezes dirijo pedindo para as pessoas fazerem ações. Só que eu percebi que muito do que eu pedia eles não faziam com tanta facilidade. Coisas que para mim são tão naturais que eu nem penso duas vezes para perguntar. Então notei que ao invés de pedir “senta aqui e dá um abraço” o ideal é perguntar “o que vocês acham de sentar aqui no chão? Como fica mais confortável? Assim ou assado? Ou prefere ali no banco?”. Se eles não conseguem fazer algo, irão avisar. Com eles passei somente a dar sugestões e aproveitar o que surgisse (e o que surgiu foi lindo!)

ISO 100, 10mm, f/3.5, 1/400seg

ISO 100, 10mm, f/3.5, 1/400seg

Minha mãe estava junto e muitas coisas que eles não faziam ela ia lá e “montava” sem dó – isso pode até ter sido válido, mas só porque ela é filha. Não faça isso em casa! :-)

2. A mostrar o exemplo

Isso é importante em qualquer situação de direção mas com eles notei ser mais importante ainda. De novo: o que me parece simples (“vá até aquela árvore e venha andando na minha direção”) na verdade não era. Até porque essa coisa de sair para tirar fotos cheias de movimento é um conceito bem recente. Então eu aprendi a mostrar, repetidamente, que era pra ser um abraço apertado *mesmo*!

ISO 100, 50mm, f/1.8, 1/400seg

3. A ser breve

Tirar foto cansa. Ficar indo pra lá e pra cá em um parque também. No final das fotos eles já estavam cansados e aprendi que devo ser mais breve e evitar os longos deslocamentos. Planejar com mais detalhes também é um bom jeito de evitar a fadiga.

ISO 100, 78mm, f/2.8, 1/500seg

•••

A dona Alcinda e o seu Manoel podem ter achado estranho o tanto de beijinhos que pedi, mas gostaram muito das fotos. :-)

compartilhe

sobre a autora

De mãos vazias, Claudia Regina segura a pá. Anda a pé, montada no touro. Cruza a ponte, e ela flui, mas a água não.

claudiaregina.com

anúncios

   http://cursodefotografia.org

quer aprender a fotografar? baixe o livro do
Dicas de fotografia.

é grátis.

↓ eu quero!

perguntas frequentes sobre
fotografia